Gravura Brasileira

Florian Foerster - Sao Paulo - Insides, Outsides and In Between

Florian Foerster - Sao Paulo - Insides, Outsides and In Between

De 11/1/2010 a 12/2/2010

Obras

a galeria Gravura Brasileira apresenta o artista alemão Florian Foerster em exposição individual de 12 de janeiro a 12 de fevereiro de 2010.
 

     


A exposição apresentará gravuras, desenhos e pinturas que foram feitos durante três longas visitas que o artista fez ao Brasil desde 1996. Desde sua primeira visita a São Paulo aos 21 anos de idade suas observações e experiencias ficaram na raiz do seu trabalho. Os trabalhos são agrupados de acordo com pontos de referência urbanos como os bairros do Brás, o centro antigo e o Jardim da Luz. Os desenhos e croquis realizados durantes estas estadias são o seu material de trabalho extraído direto da cidade de São Paulo. As pinturas resultantes são as marcas do diálogo e do confronto com a sua experiência em São Paulo.

Estes trabalhos nunca foram mostrados no Brasil.

 

visite também os sites:

www.florianfoerster.com e www.blocosete.com.br/blog

 

texto do artista (dezembro 2009):

Sao Paulo - Insides, Outsides and in between
Galeria Gravura Brasileira

São Paulo – Interiores, Exteriores e Entrementes  mostra pinturas, gravuras e desenhos baseados em observações e experiências das minhas viagens a São Paulo iniciadas no início dos anos 90. Quase todos os trabalhos da exposição se basearam em observações feitas durante caminhadas nos bairros do Brás, Jardim da Luz e no Centro. Eu traduzi meus desenhos e croquis feitos ao ar livre em novos trabalhos feitos no estúdio. A exposição apresenta uma tentativa, por vezes hesitante,  de “entrar” em São Paulo, de responder a realidades que encontrei e as conectar com minhas memórias e minha imaginação.
A seguir rascunhos verbais da minha conexão com o Brás, Jardim da Luz e com o Centro:

Brás
Ruas estreitas e densas durante o dia, prédios industriais baixos, o cheiro de alho e madeira, sons de embalar, cortar e mover. Um mercado contínuo emoldurado pelo rio amarelo esverdeado, as linhas de trem e o skyline do Centro. Um espaço transitório, vazio nos finais de semana e à noite, um local de trabalho, de barganha com motivos secretos ou não, um lugar para deixar. Lembranças das grandes cidades do norte da Inglaterra originalmente trazidas à vida pelos imigrantes que seguiram seu velho sonho de melhorar de vida. Arquitetura utilitária emoldura atividades comerciais, um local de trabalho manual e comércio, uma beleza rude e desbotada sem interesse no que está na moda e no design.
 

Jardim da Luz
Quase um jardim secreto, muito antigo, muito remoto para se anunciar a mim na minha primeira visita. Uma luz avassaladora perto dos portões abrindo caminho para a densidade interior. Um pequeno espaço para diversões sem limites e desespero, jogos fúteis e frágeis, beleza despretensiosa. Inspire e espire e inspire de novo, o mundo exterior, a natureza e pessoas entrando e saindo em sonhos que se dissolvem. Alimento de desejos de descanso e intensidade, tristeza e alegria para um momento pré-Brás de retorno à realidade. Olho com olhos semi-abertos. Fechado às segundas-feiras, dia dos mais tristes em São Paulo. O sonho dorme.


Centro – Boca do Lixo
Ainda lá, atravessando, subindo e descendo as ruas e conglomerados de prédios, prédios que se abrem em passagens e vestíbulos em quartos. Sujeira e violência rindo das tentativas de arrumar as fachadas e esconder a ganância física, o desespero carente e a beleza. Um sentido de alerta fútil. Um lugar de prazer, crueldade, medos e surpresa, rindo do bom sentido e da moral. Tão fértil quanto um poema de Baudelaire. Um local de disfarce, mentiras felizes e prazeres montados sem ensaio em um teatro terrestre. Corpos tentando chamar sua atenção na periclitante decadência de palcos de grandes e antigos cinemas em vias de desaparecer. Ainda lá: compostos, cortados e recompostos dos restos e materiais de apartamentos.

Observações 2010
Durante as minhas caminhadas em São Paulo nas semanas que antecederam esta exposição eu fiquei chocado com o quanto a cidade mudou. Alguns dos lugares e vistas em exposição na galeria não mais existem fazendo desta mostra não apenas uma representação das minhas experiências, mas também um registro histórico de algo que se foi. Deste modo, este trabalho se torna parte das vastas camadas arqueológicas que esta cidade engole por alteração. Isto me deixa melancólico, mas também, curioso sobre as novas transformações.

São Paulo, Dezembro 2009
Florian Foerster

 

currículo do artista:

Florian Foerster
     
exposições individuais
     
2009    Galerie SüdostEuropa, Maria Valeria Drawings, Berlin
2009    Bocas do Lixo, Das Labor, Berlin
2007    Nacht und Nebel, Neukoelln, Berlin
2006    “ Deceptions and Crossings “ Municipal Museum Sturovo, Slowakei.
2004    Tib Lane Gallery, Manchester
2004    “ The miraculous Mandarin “ Berliner Philharmonie, Berlin
    The exhibition formed part of the Berliner Philharmoniker Concert of Bela Bartoks-music, conducted by Pierre Boulez    
2000    Tib Lane Gallery, Manchester
1997    -Galerie Zunge, Berlin
1996    Royal Northern College of Music, Manchester
1995    Liverpool School of Architecture
1994    Goethe Institute, Manchester
1993    Skelmersdale Arts Centre

principais exposições coletivas

2009    Here, there and everywhere, jointly with Lara Loutrel, Boston
2008    Nacht und Nebel, jointly with Lara Loutrel, Berlin
2007    Nacht und Nebel, jointly with Kate Price, Berlin
2006    Annual Exhibition, Schillerpalais, Berlin
2005    Newton Street Studio, Manchester,
2002    Newton Street Studio, Manchester,
2003    Manchester Academy , Prizewinner
1999    Manchester Academy , Prizewinner
1996    Manchester Academy
1995    Ainscough Gallery, Liverpool
1995       Manchester Academy , Prizewinner
1994    Hotbed Press in Liverpool and Manchester
1994    ‘ Licence to print’ Six young printmakers in England, Brewery Arts Centre, Kendal

Residencias
2006    June to October. Bridgeguard Residency in Sturovo, Slowakei/Ungarn , for additional information see  www.bridgeguard.org  
1992, 1997, 2005. Three four month long visits to Sao Paulo to paint and draw.

Workshops com o Berlin Philharmonikers Education Department

2007   Two week workshop to St. Saints Musik Karnival der Tiere with primary school children for a concert with the orchestra and the Labeque sisters.Concept and workshopleader
2006    Open Day - Workshop for 3 to 10 year old children to Ravels music, Mother Goose. Concept and workshopleader
2004     The miraculous Mandarin  by Bela Bartok. Workshopleader for a one  week   workshop with secondary school children. 
2004    Le Jeux by Debussy. Workshopleader for a two week workshop with secondary school children. 

Desde 1994 o trabalho de Florian Foerster vem sendo mostrado regularmente em coletivas na Tib Lane Gallery e the Philips Art Gallery in Manchester.
     

 

Copyright Gravura Brasileira

Rua Ásia, 219, Cerqueira César, São Paulo, SP - CEP 05413-030 - Tel. 11 3624.0301
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 12h00 às 18h00 ou com hora marcada

site produzido por WEBCORE