Gravura Brasileira

Florence Grundeler

Florence Grundeler

De 25/5/2010 a 26/6/2010

Obras

FLORENCE GRUNDELER
XILOGRAVURAS

25 de maio a 26 de junho de 2010.

     

"O CÉU NÃO TEM BEIRAS"

« Levanta-se vôo contra a gravidade, tanto no mundo dos sonhos como no mundo da realidade.
(...) É impossível fazer a psicologia da gravidade, a psicologia daquilo que faz de nos
seres pesados, lassos, lentos, seres que caem, sem uma referência à psicologia da leveza,
a nostalgia da leveza. (...) E  numa espécie de nebulosa psíquica que se firmam o núcleo
de nosso peso e a vida floral de nossa leveza. Tomados de vertigem, sentimos que poderíamos
ter-nos elevado.”

Gaston Bachelard, in “A terra e os devaneios da vontade"

O texto de Gaston Bachelard, primeiro publicado sob o título “o céu não tem beiras” traduz perfeitamente a aproximação das imagens de Cris Rocha, Kika Levy e Florence Grundeler.
As suas gravuras são, cada uma à sua maneira, “um vôo contra a gravidade”, uma oscilação dialética muito feminina entre o peso e a leveza.
As três artistas observam, experimentam, apropriam-se das formas da natureza, e as trazem para nossa contemplação.
As suas imagens cristalizam um momento, uma presença em busca de ancoragem terrestre, mas também de uma liberação pelo vôo. Num céu sem beiras.


Florence Grundeler
Florence está à escuta da madeira.  A imagem que nasce da sua busca de enraizamento é a própria forma da madeira, com os seus impulsos de crescimento, suas contrações, as suas fronteiras rudes que sangram o papel de estrias sombrias.
Após a escuta, a apropriação. Florence toma emprestado a canção da madeira.  As linhas ondulam e fogem, os nós ressoam e se desfazem.
Os troncos tornam-se os elementos de um refrão familiar que se declina em polípticos, até a árvore tornar-se um horizonte. Escoar-se como água.
                                                                 
ANNE LOUYOT

 


Florence Grundeler
currículo
 

Nasceu em Paris em 1968, diplomada de lingua e civilizaçao chinesa (Paris) passou um temporada no império do meio há 20 anos atrás. Há 10 anos se dedica à pintura e à gravura .
Participou do atelier de Cristina Moraes na USP em Sao Paulo, se formou em gravura com Ernesto Bonato no ateliê Piratininga  entre 2004 e 2006, continuou a descorberta técnica da gravura com a artista Kika Levy .
Durante o ano que passou em Buenos Aires, fez um curso de fotogravura com a Lucrecia Urban da Zona Imaginaria.
Também está trabalhando num projeto de filme de animaçao com suas imagens de nankin com o fotografo Santiago Melazzini.
Daqui pouco tempo, ela vai voltar para França, para se instalar na Provence onde tem a casa e atelier.Seu projeto é de criar um lugar aberto para o outro : Brasil, Argentina, China …. Encontros artisticas daqui e de lá, para isso vai organizar um residencia de artista e favorecer novos « ponts des arts » .

SER ARTISTA …

Seria um ato politico de oferecer para o « mundo », um pouco de beleza, poesia, um espaço para sonhar, pensar, meditar.
Ser artista é uma responsabilidade, uma responsabilidade social, ajudar a ver la vida de outra maneira, com mais profundidade, voltar para a essencia …
Pintar, gravar, fazer é um dever tanto que uma paxiao, seu jeito de viver e até respirar.

EXPOSIÇÕES / EVENTOS  :

« scènes de vie, scènes de villes » exposiçao individual de pintura , elaborada com o textos da escritora Anne louyot – residencia consular da França- 2003
exposiçao inidividual na livraria cultura do conjunto national 2004
participaçao dos eventos do Espaço- Atelier das artistas Kika Levy e Cris Rocha 2006
exposiçao colectiva « l’art roman vu du Brésil » com o grupo do piratininga – igreja de Anzy le Duc (França) 2006
exposiçao colectiva em nova York no golborotko’s studio
exposiçao indiviual na Zona Imaginaria de Lucrecia Urbano agosto 2009
 

Copyright Gravura Brasileira

Rua Ásia, 219, Cerqueira César, São Paulo, SP - CEP 05413-030 - Tel. 11 3624.0301
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 12h00 às 18h00 ou com hora marcada

site produzido por WEBCORE