Gravura Brasileira

Vento Norte

Vento Norte

De 17/12/2011 a 25/1/2012

Obras

Imprensa

Baixar

De 17 de dezembro a 25 de janeiro de 2012

VENTO NORTE
gravura contemporânea na Amazônia

 



Alexandre Sequeira
Armando Sobral
Elaine Arruda
Eliene Tenório
Jocatos
Pablo Mufarrej
Ronaldo Moraes Rêgo
Véronique Isabelle


VENTO NORTE
Gravura contemporânea na Amazônia


Esta coletiva celebra conquistas significativas: faz dez anos que um grupo determinado de artistas e estudantes universitários reuniu-se para criar um atelier público de gravura em Belém, motivado pela necessidade de praticar e ensinar essa modalidade artística para adultos, jovens e adolescentes, na sua grande maioria de baixa renda ou provenientes de escolas públicas. Tem sido um tempo de construção em que a Galeria Gravura Brasileira esteve aberta a esse esforço e acolheu a produção que começava a chegar daquele ponto longínquo. Desse movimento inicial aos dias de hoje completa-se um ciclo importante de preparação e de permanência do trabalho com a criação do coletivo Atelier do Porto.
A gravura na região amazônica destaca-se com a produção que surge na última década no estado do Pará, principalmente em Belém. O que não significa validar sua importância somente a partir desse período; seria uma injustiça com Valdir Sarubbi, Ronaldo Moraes Rêgo e Jocatos, grandes artistas responsáveis em manter viva essa tradição. Foi o surgimento de uma nova geração de excelentes gravadores preocupados em trabalhar de maneira colaborativa e em diálogo com a tradição da gravura brasileira, reconhecendo-a e integrando-se a ela, que talvez tenha sido a maior contribuição de todos esses anos de persistência – anos, diga-se de passagem, ainda germinais.
De fato, podemos assegurar que existe uma gravura na Amazônia capaz de afirmar-se no cenário contemporâneo - os trabalhos falam por si. Contudo, vale a pena penetrar um pouco mais nas obras presentes e perceber os desafios impostos aos métodos de trabalho com a gravura em metal verificados, por exemplo, em Elaine Arruda, Pablo Mufarrej e Ronaldo Moraes Rêgo; as expansões que definem outros campos da linguagem com o emprego das novas mídias - limites explorados nas estampas numéricas de Alexandre Sequeira e Véronique Isabelle - e a liberdade como Jocatos e Eliene Tenório incorporam signos identificados com o universo feminino e suburbano, sem perder de vista as qualidades que são peculiares ao meio gráfico.
As obras presentes trazem o vento úmido e contaminado dos portos do Norte, que nos alimentam por séculos com sinais vivos da ancestralidade. Lugar, este, sentido e compartilhado.


Armando Sobral
Brasília,  dezembro de 2011

 

SÉRIE TEMPO - PABLO MUFARREJ

Pablo Mufarrej, 29 anos, é artista e professor formado pela Universidade Federal do Pará. Por seis anos ministrou oficinas de desenho e gravura na Fundação Curro Velho (2001/2008) e produziu ilustrações para o projeto Central Ciência - Museu Emilio Goeldi. Hoje atua como professor na rede estadual de ensino e membro do Coletivo Atelier do Porto (Belém-PA).
Participou como artista convidado em exposições coletivas no Pará, São Paulo, Alemanha e França; Em dezembro de 2007, montou sua primeira exposição individual, “Lugar-Comum”, na sala Antonieta Santos Feio do Museu de Arte de Belém – Mabe. A mostra foi fruto da bolsa de Pesquisa, Experimentação e Criação Artística do Instituto de Artes do Pará - IAP de 2007, com o projeto “Circular: Trajetos imaginários sobre a Paisagem de Belém”. Foi premiado em diversos salões de arte do Pará (2º Lugar na mostra "Primeiros Passos" – Ccbeu em 2004; 3º Grande Prêmio do salão "Arte Pará" em 2005; Prêmio Especial Graça Landeira no "13º Salão Unama de Pequenos Formatos" em 2007) e também possui diversas obras em acervos (Centro Cultural Brasil Estados Unidos, Fundação Rômulo Maiorana, Casa da Memória – Unama, Galeria Gravura Brasileira – SP, Museu de Arte de Belém – Mabe e Museu Casa das 11 janelas)

Currículo da série Tempo

• XVème Biennale Internationale de La Gravure de Sarcelles; Sarcelles /França - 19/11/2011 a 04/12/2011
• Coletiva de gravura brasileira e francesa na bibliothèque de Lyon 2, organizada por Christelle Jaffelin. Lyon- França. 10/2011
• Olhares Cruzados Sobre a Natureza na Gravura Francesa e Brasileira, Ano da França no Brasil, Museu Casa das 11 janelas, Belém /PA, 2009. (mostra itinerante Belém, Brasília e França);
• Gravura no Pará - Acervo, Casa das Onze Janelas, Belém/ PA. 2008
• Mario Gruber e a metafísica dos planos: outros portos, Galeria do CCBEU, Belém /PA, março 2008.
• Forma Gravada, mezanino do café sol, Belém /PA 2008.
• Exposição coletiva Gravura do Pará, Galeria Gravura Brasileira – SP, 2007.

Dados Técnicos
Artista: Pablo Mufarrej
Titulo: Série Tempo, (2006 / em construção)
P.e (Prova de Estado) Nesta série a prova é aspecto fundamental de seu conceito. Seu original é sempre 1/2 ou 2/2. Mudanças na matriz e na cor são acrescentadas na hora da reimpressão de cada gravura, modificando sempre o resultado final da imagem a ser reimpressa. Seu original carrega aspectos únicos, tanto na escolha dos procedimentos técnicos quanto na fatura final que ele apresenta.   
Técnica: Gravura em Metal
Procedimentos: Água Forte (  ) Água Tinta (  ) Ponta Seca (  ) Maneira negra (  ) Buril (  ) Roletes (  )                             
Gravura impressa em:

1-Papel para Gravura em Metal: Hahnemühle gramatura 300
2-Impressas com procedimentos manuais através de uma prensa para gravura em metal Com as Tintas: Charbonnel e Gamblim;.

 

Copyright Gravura Brasileira

Rua Ásia, 219, Cerqueira César, São Paulo, SP - CEP 05413-030 - Tel. 11 3624.0301
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 12h00 às 18h00 ou com hora marcada

site produzido por WEBCORE