Gravura Brasileira

Zona Desconhecida

Zona Desconhecida

De 13/3/2003 a 26/4/2003

Obras

Imprensa

Baixar

Zona Desconhecida

        


 
Em 13 de março de 2003, estaremos inaugurando a exposição " Zona Desconhecida" com gravuras em metal e colagrafias dos artistas cearenses Hilton Queiroz e Eduardo Eloy.
 
Descritivo da Exposição :
gravuras recentes de Hilton Queiroz e Eduardo Eloy, cujas obras plenas de símbolos e imagens arquetípicas mergulham na zona desconhecida das nossas mentes.
inauguração : em 13/03/2003, quinta feira, 19hs
período de exposição: 14 de março a 26 de abril de 2003.
local: galeria Gravura Brasileira, al. Gabriel Monteiro da Silva,1325, Jardim Paulistano
telefones: 3064.8779, 3081.8484, 3083.3109

 

ZONA DESCONHECIDA – GRAVURAS
EDUARDO ELOY & HILTON QUEIROZ


Marcada por uma cisão ideológica que coloca em pólos distintos: emoção e sentir, por um lado, e razão e pensar, por outro, a sociedade ocidental capitalista se apóia na supremacia da racionalidade, na submissão ao trabalho e na indiferença para com a natureza. Inserido nesse universo, o homem atual tem relegado dimensões básicas para a sua vida.
Uma alternativa, com resultado indiscutivelmente positivo na busca por fazer o homem reencontrar os seus valores essenciais, é o contato com a arte. Percebe-se que a arte, por atingir níveis da consciência inacessíveis a outros processos, nos leva a conhecer aquilo que comumente nos escaparia na linearidade de outras linguagens e a vivenciar experiências e sentimentos impossíveis por outros meios.
    Acreditamos na arte como objeto de conhecimento e, como tal, elemento transformador do homem e da sociedade. Um objeto é arte quando esse objeto, em sua essência, tiver o poder de cindir o monopólio da realidade aceita na busca por estabelecer um novo real. É nessa ruptura que a realização estética abre dimensões inacessíveis a outras experiências. Arte não é apenas o que nos admira pela destreza de execução ou pela engenhosidade, arte é aquilo que nos ajuda a compreender o mundo, ser do mundo, fazer o mundo.
Eduardo Eloy e Hilton Queiroz são dois gravadores onde observo, vendo seus trabalhos, as qualidades da arte.
São dois percursos de vida diferentes, duas artes distintas, postas lado a lado numa exposição. Duas visões: um só caminho de busca – a arte. Tanto para um como para o outro, a arte é o lugar onde eles encontram refúgio e força para o enfrentamento da vida, os escudos e as armas no conflito que, cotidianamente, são obrigados a enfrentar.
Eloy é pleno no vasculhar das suas memórias, na busca por exprimir toda a magia do seu mundo interior. Carregado da angustia da busca incessante, ele parece mergulhar na sua própria alma, em tempos e lugares diversos, de onde resgata, colhe, traz fragmentos de imagens do seu viver para compor, construir, criar, expor um universo estético repleto de incompreensões, estranhamentos, alegrias, amores, tristezas, vida.
Hilton, aparentemente, provoca erupções de imagens que estariam fixadas nos lugares mais profundos de sua mente e nas mentes de todos nós. Em um lugar cósmico que, apreendido, trabalhado e transformado, pelo artista, em obras de arte, simboliza a cultura perdida do nosso povo,  embora também expresse valores estéticos próprios do artista. Hilton vai ao coletivo cósmico para encontrar a sua individualidade. Eloy sai de suas entranhas para mostrar sentimentos que, de algum modo, são comuns a todos nós. 
Duas visões, vários olhares, muitos posicionamentos, múltiplas leituras. Hilton, uma visão cósmica; Eloy, uma visão do interior de si. Ambos mergulham em zonas desconhecidas na busca por fazer arte.
Aqui, os dois, Eloy e Hilton, por meio de suas obras, quebram a cisão entre emoção, sentir, razão e pensar; rompem com a supremacia da racionalidade, com a submissão ao trabalho e com a indiferença para com a natureza e religam os seus observadores com as dimensões básicas da vida. Nos levam, cada um do seu modo, a atingir níveis de consciência, conhecimento e compreensão de mundo que só os verdadeiros artistas são capazes.

Roberto Galvão
da Associação Brasileira de Críticos de Arte

 

CURRÍCULO EDUARDO ELOY

Fortaleza, CE, 1955
Vive e trabalha em Fortaleza
FORMAÇÃO
1976 a 1981
-Escola de Artes Visuais do Parque Lage – RJ
-Fundação Calouste Gulbenkian – RJ
-Museu de Arte Moderna - MAM – RJ
·    ATIVIDADE DOCENTE
-Coordenador e Professor do Curso de Graduação em Artes Plásticas da Faculdade Gama Filho, Fortaleza.
-Professor de gravura - Secretaria da cultura e desporto, Instituto Dragão do Mar e Instituto da Gravura do Ceará – INGRAV.
·    INDIVIDUAIS
1999 -TRÊS GRAVADORES – MAC – Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura–Fortaleza– CE
1995 -PINTURA SOBRE FIBRAS BRASILEIRA – IBEU Art Gallery – Fortaleza - CE
1992 – EDUARDO ELOY - PINTURAS - Centro Cultural Banco do Brasil – RJ
1990 -PINTURAS – EDUARDO ELOY – LM Escritório de Arte – Fortaleza – CE
1987 -EDUARDO ELOY – OLEOS, DIBUJOS E GRABADOS – Galeria Contemporânea – Montevideo
1983-EDUARDO ELOY–TÉC. MISTA E GRAVURA–Galeria Rodrigo M.F.de Andrade-FUNARTE-RJ
·    COLETIVAS
2003-Zona Desconhecida–Gravuras–Eduardo Eloy e Hilton Queiroz–Gravura Brasileira-SP
2003 – Arte do Ceará – Centro Cultural OBOÉ – Fortaleza – CE
2002–Ainda Gravura– MAC–Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura–Fortaleza- CE
2001 – Concurso Latino Americano de Pintura Enersis – Museu de Belas Artes – Santiago – Chile.
2000 – A Roda do Tempo – Galeria Ignez Fiúza. Fortaleza - CE
1998 –Dragões e Leões– MAC – Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura –Fortaleza – CE.
1997 – Tauape Xilogravuras – Centro Cultural Recoleta – Buenos Aires e ICBRA- Berlim.
1997 – A Arte Contemporânea da Gravura – Brasil Reflexão 97 – Curitiba – PR
1997 – Gravuras Contemporâneas Brasileiras – University of Dallas – Texas – EUA
            Lousiania State University – Los Angeles - EUA
1996 - Tauape Xilogravuras – Museu de Belas Artes–RJ,  MAC–USP-SP e Museu da Gravura de Curitiba.
1994 –Xilogravura do Cordel a Galeria– MASP – SP.
1993 –Gráfica de Aqui y de Allá – Centro Cultural Isabel de Farnesio – Aranjuez – Espanha.
1993-1989 – Panorama da Arte Atual Brasileira - Pintura – MAM – SP
1992 – Arte Papel Nordeste Brasil – Casa do Brasil – Madri e Espace Latino Americano – Paris.
1991 – BR 80 Pintura Brasil Década 80 – Instituto Cultural Itaú – Fortaleza – CE.
1985-1982 – 8° e 5° Salão Nacional de Artes Plásticas – MAM –RJ
1985 – II Prêmio Pirelli - Pintura– MASP – SP
1983 – XXXII Salão de Abril – Fortaleza – CE
1978 – II Salão Carioca de Artes Plásticas – RJ.
Quantidade de obras a serem expostas: 08 Gravuras
Dimensões das obras: 61x58cm, 70x66cm, 58x61cm, 61x58cm, 77x53cm, 64x44cm, 79x56cm, 81x40cm.
Obs: imagem impressa fora a área em torno do papel.
Preço Individual: 600,00 reais
Técnica utilizada: Colagrafia.



CURRíCULO HILTON QUEIROZ

Mulungu, CE, 1963
Vive e trabalha em Fortaleza
FORMAÇÃO
1989 a 2001
- Graduado e Licenciado em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará
- Curso de Gravura em Metal e Xilogravura com o artista plástico Eduardo Eloy no Instituto Dragão do Mar – CE
- Circuito de Arte e Educação – Arte no Século XX no Instituto Dragão do Mar – CE
- Pós Graduado em Marketing Cultural pela Universidade Estadual do Ceará
·    INDIVIDUAIS
2001 - www.hiltonqueiroz.art.br – Centro Cultural Oboé – Fortaleza, CE
2000 - Pinturas - Casa D`Arte Galeria – Fortaleza, CE
1999 - Pinturas e Gravuras - Galeria Ignêz Fiuza – Fortaleza, CE
1998 - Impressões - Universidade de Fortaleza – UNIFOR – Fortaleza, CE
1995 - Ecos - Casa D`Arte Galeria – Fortaleza, CE
1994 - Primeiras Imagens - Espaço Cultural da Teleceará – Fortaleza, CE
·    COLETIVAS
2003 - Zona Desconhecida – Gravuras – Eduardo Eloy e Hilton Queiroz – Galeria Gravura Brasileira – SP
2002 - Arte do Ceará – Centro Cultural Oboé – Fortaleza, CE
2001 - X Salão Municipal de Artes Plásticas – Fundação Cultural de João Pessoa - João Pessoa, PB
2000 - Encontros do Fim do Mundo - Coletiva de Artistas Brasileiros - Fortaleza de Sagres – Portugal
2000 - 6º Salão Norman Rockwell do Desenho e da Gravura – IBEU Art Gallery – Fortaleza, CE
2000 - Um Olhar sobre a Arte no Ceará – Galeria Casa Cor 2000 – Fortaleza, CE
2000 - I Mostra Internacional de Mini Gravura Vitória 2000 – Museu  de Arte do Espírito Santo – Vitória, ES
2000 – 2000 : A Roda do Tempo – Galeria Ignêz Fiúza – Fortaleza, CE
2000 - Acervo Tomo I 1993-2000 – IBEU Art Gallery – Fortaleza, CE
2000 - V Salão  Nacional de Arte Contemporânea – Galeria do Centro de Convivência Cultural – Campinas, SP
1999 – 5o Salão Norman Rockwell do Desenho e da Gravura – CE (Grande Prêmio de Gravura)
1999 - . IV Salão Nacional de Arte Contemporânea – Campinas, SP (Menção Honrosa)
1998 - 7º Salão de Artes Cidade de Itajaí – Casa de Cultura Dide Brandão – Itajaí, SC
1998 - Relevos & Encavos – IBEU Art Gallery – Fortaleza, CE
1998 - Arte Pará 99 – Museu do Estado – MEP – Belém, PA
1998 - 4º Salão Norman Rockwell do Desenho e da Gravura – IBEU Art Gallery – Fortaleza, CE
1998 - http://www.secrel.com.br/marte – Espaço Cultural dos Correios - Rio de Janeiro, RJ
1997 -Francisco Andarilho -  Galeria Ofício – Natal, RN
1997 - 48o Salão de Abril – MAUC - Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará – CE
1997 - Ceará Pinta em Paris - Central do Brasil - Centre d`information de la vie brésilienne à Paris, França
1996 - III Salão Nacional de Arte Contemporânea – Galeria do Centro de  Convivência Cultural – Campinas, SP
1994 - 4o Salão Náutico Arte – Fortaleza, CE (Prêmio de Pintura)
1993 - 44o Salão de Abril – Fortaleza, CE (Menção Honrosa)

Home page: www.hiltonqueiroz.art.br
Quantidade de obras a serem expostas: 14 gravuras
Dimensões das obras: 06 gravuras (19x29 cm) ;  04 gravuras (29x19 cm) ; 04 gravuras  (20x14 cm)
Preço individual: R$ 400,00
Técnica utilizada: gravura em metal (água tinta e relevo)











 

 


 

Copyright Gravura Brasileira

Rua Ásia, 219, Cerqueira César, São Paulo, SP - CEP 05413-030 - Tel. 11 3624.0301
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta: 12h00 às 18h00 ou com hora marcada

site produzido por WEBCORE